Idol.News3

Simon Fuller processa a Fox por causa do The X Factor

O criador da franquia Idol (que inclui os programas American Idol e Ídolos), Simon Fuller, está processando a rede de televisão americana Fox, alegando que a emissora deveria ter pago a ele uma taxa para exibir o novo programa de Simon Cowell na casa, a versão americana do The X Factor.

De acordo com o site The Hollywood Reporter, Fuller tem negociado o recebimento de uma taxa como produtor executivo e de créditos no X Factor como parte de um acordo do processo movido pelo empresário por violação de direitos autorais contra Cowell em 2004, quando o programa do ex-jurado do American Idol foi lançado no Reino Unido. A Fox (que transmite o Idol há dez anos e irá estreiar o The X Factor no próximo dia 21 de setembro) e a Fremantle North America – que produz os dois shows – estão se recusando no momento a cumprir tal decisão, de acordo com o termo.

“Fox e Fremantle lucram centenas de milhões de dólares graças aos esforços criativos de Fuller”, relata o processo. “Agora, quando é hora de finalmente honrar com suas promessas, Fox e Fremantle se recusam a fornecer para Fuller seu crédito de produtor executivo em seu novo programa de televisão, The X Factor, e se negam a pagar a taxa correspondida”. No processo também diz que, se o acordo entre Fuller e os envolvidos não for concretizado, há a possibilidade do The X Factor ter sua exibição suspensa nos Estados Unidos.

A briga aberta entre Fuller e Cowell se estende há anos desde que o programa Pop Idol – que originou a franquia Idol no mundo – foi extinto na Grã-Bretanha para ceder lugar à então nova cria de Simon Cowell, o The X Factor.