GuiPod

Olá pessoas! Primeiramente, deixem-me apresentar minha nova coluna semanal, o GuiPod! Aqui falarei um pouco mais sobre o tema da semana, história e curiosidades sobre o cantor/assunto em destaque. Espero que gostem! =D
ATUALIZADO: LINKS CONSERTADOS!!!

O tema dessa semana é nada menos que Michael Jackson! O polêmico cantor norte-americano, iniciou sua carreira aos onze anos de idade, quando junto de seus irmãos formou o quinteto “Jackson Five”. No grupo, Michael sempre teve grande destaque pelos seus talentos como dançarino e cantor, iniciando em 1971 sua carreira solo.

Michael e seus irmãos gravaram pela Motown Records, vários discos que chegaram à fama mundial. Com apenas 13 anos, o cantor já havia colocado no topo, quatro músicas,I Want You Back, ABC, I’ll Be There, The Love You Save. Ainda participando do quinteto, Michael iniciou sua carreira solo, também pela Motown, tendo lançado três discos.
A infância do cantor, entretanto, não foi um conto de fadas como pode parecer. Seu pai constantemente abusava fisicamente de Michael e seus irmãos, inclusive supervisionando ensaios com um cinto na mão. Durante entrevista com a apresentadora Oprah, ele revelou que chorava frequentemente por solidão e que tinha muito medo de seu pai.
Em 1975, o grupo saiu da Motown e assinou contrato com a Epic. No processo judicial acabaram mudando seu nome para “The Jacksons”. Nessa época, Michael enfrentou diversas crises, pois o adolescente não aceitava o fato de estar crescendo. Para piorar a situação, sua pele também passou por um período de alto grau de acne, fato explorado intensamente pela mídia.
Já em 1979, entrando na idade adulta, Michael Jackson começou a gravar “Off the Wall”. O álbum, uma mistura de black music e disco, foi bastante elogiado pela mídia especializada. O grande sucesso rendeu ao cantor seu primeiro Grammy, com “Don’t Stop ‘Til You Get Enough”, escrita e produzida pelo próprio. Nessa época o cantor ainda fazia parte do “The Jacksons”.
Alguns anos depois, após alguns adiamentos, finalmente foi lançado seu mais famoso álbum, “Thriller” em maio de 1982. “Thriller” ainda é o disco mais vendido de toda a história, com 106 milhões de cópias vendidas pelo mundo. Em fevereiro de 83 chegou no topo dos mais vendidos, e permaneceu lá por mais 37 semanas. Dos singles lançados, dois chegaram ao topo das paradas, “Billie Jean” e “Beat It”. Além disso, o lançamento do clipe de “Billie Jean” foi um grande marco na luta contra a discriminação racial nos Estados Unidos. Michael se tornou o primeiro negro a conseguir exibição constante na MTV americana.
Na noite de 16 de maio de 1983, aconteceu a noite de comemoração dos 25 anos da gravadora Motown. No evento televisionado, mais de 3 mil celebridades se reuniram em um teatro em LA, onde assistiram diversos cantores negros se apresentar. Dentre eles estavam os “The Jacksons”, que se apresentaram, deixando posteriormente Michael sozinho no palco. MJ começa a cantar seu sucesso “Billie Jean”, lançado seis meses antes, até que parou, foi andando até o canto esquerdo do palco e voltou, deslizando de costas. Nascia ali seu famoso passo, o “Moonwalk”. Nas palavras da revista Rooling Stone, “Foi aquele momento que cristalizou o status de celebridade de Michael Jackson”,”Moonwalk, no mundo do entretenimento, só é comparável ao andar de vagabundo de Chaplin, à sequência de Gene Kelly em Dançando na Chuva e aos passos de Fred Austaire no filme Núpcias Reais”. Também naquele ano, o cantor estabeleceu novos horizontes para a o mundo dos videoclipes. Naquela época os clipes eram pobremente produzidos, e não eram muito valorizados pela maioria dos artistas. Foi quando em dezembro, Michael lançou um curta-metragem de 14 minutos promovento seu novo single “Thriller”. O curta custou 600 mil dólares, uma quantia completamente fora dos padrões para a época.
Em março de 1984, “Thiller” entrou para o livro dos recordes pela vendagem do videocassete com seu curta-metragem e os bastidores da produção. No mesmo ano, MJ ganhou uma estrela na calçada da fama de Hollywood, e ao final do ano, havia conquistado 94 prêmios somente por “Thiller”. Ainda em 84, durante a premiação do Grammy, o artista faturou 8 prêmios, estabelecendo um novo recorde.
No ano seguinte, Michael se uniu a Lionel Richie e Quincy Jones na arrecadação de lucros para a campanha “USA for Africa”. Lionel compôs a melodia, e MJ escreveu a letra de “We Are the World” em um dia. A música rendeu ao cantor duas premiações no Grammy daquele ano .
Depois do sucesso de “Thiller”, o lançamento do próximo álbum sofreu vários adiamentos, sendo finalmente lançado em 1987, intitulado de “Bad”. Apesar de não ter agradado muito a mídia especializada, o álbum conseguiu a incrível façanha de ter nove canções lançadas, sendo que cinco chegaram ao primeiro lugar nos Estados Unidos. “I Just Can’t Stop Loving You”, “Bad“, “The Way You Make Me Feel“, “Man in the Mirror” e “Dirty Diana“.
Em março de 1990, Michael Jackson assinou um contrato recorde, estimado em 1.089 bilhões de dólares, com a Sony Music por mais 15 anos . Nesse período, ele deveria lançar seis álbuns e receberia 180 milhões em antecipação por cada um deles. No livro dos recordes, passou então a ser citado como o artista mais bem pago da indústria da música.
Depois de mais ou menos um ano MJ lança a música “Black or White” em novembro de 91. O primeiro single do álbum “Dangerous” teve seu clipe(um curta-metragem de 10 minutos) exibido simultaneamente para 27 países, somando uma audiência estimada em 500 milhões de telespectadores, mais um recorde. O clipe gerou certa polêmica, pois Michael aparecia quebrando vitrines de lojas e vandalizando um carro com um pé de cabra. Mais tarde, MJ se desculpou com o público e o vídeo foi editado, excluindo as cenas de violência. O clipe ficou famoso também pelos efeitos especiais,mostrando uma metamorfose gerada por computador. O novo álbum “Dangerous” teve nove singles lançados, sendo que três atingiram o primeiro lugar, “Black Or White”, “Remember The Time” e “In The Closet“.
Após “Dangerous”, a trajetória de Michael tomou um rumo mais turbulento que já era. Em 93, chegaram as mãos da imprensa, acusações de abuso sexual contra um menor. As acusações nunca chegaram na justiça, e especulam que o c
antor fechou um acordo de 15 milhões de dólares com o pai do menino. As investigações paralelas da justiça não concluíram nada e em maio de 94, MJ casou-se com Lisa Marie Presley, filha de Elvis Presley. O casamento gerou mais polêmica, pois a imprensa interpretou como uma união de conveniência para tentar limpar a imagem do cantor. A união durou apenas dois anos.
Em 95, foi lançado seu disco “HI Story: Past, Present and Future – Book I” que teve um dos maiores orçamentos de marketing da história, aproximadamente 30 milhões de dólares. Em novembro de 1996, se casou com a enfermeira dermatologista Deborah Rowe, com quem teve dois filhos. Futuramente, a enfermeira abriu mão de todos os direitos maternos e concedeu guarda total a Jackson, o que gerou mais polêmica. Em 2000 foi premiado com o título de “Cantor do Milênio” durante o XI World Music Awards em Mônaco, onde Mariah Carey ganhou prêmio semelhante na categoria feminina. No mesmo ano, Michael enfrentou problemas com o atual presidente da Sony, Tommy Mottola. A briga girou em torno das licenças do cantor sobre suas músicas, o que se agravou com o lançamento do single “You Rock My World”, do recém lançado álbum “Invencible”. O single não era o escolhido pelo cantor, e MJ se recusou a divulgar o álbum, que foi retirado das lojas após três meses.
Após esse acontecimento, as polêmicas foram o que mais marcou sua carreira. Em 2002, nasceu o terceiro filho de MJ, de mãe desconhecida, segundo ele, de inseminação artificial. Em novembro do mesmo ano, Michael fez uma aparição com o recém nascido na varanda de um hotel, onde segurou a criança para fora da janela com um pano cobrindo seu rosto. Tal fato gerou severas críticas contra o cantor. A série de polêmicas seguiu com uma acusação de pedofilia contra o artista, em 2004. A acusação foi feita por um garoto que frequentava “Neverland” (propriedade do cantor nomeada em homenagem ao seu ídolo, Peter Pan, o garoto que nunca cresce), e o julgamento, amplamente divulgado pela imprensa americana, terminou em 2005, e o cantor não foi sentenciado.
Mais polêmicas:
- Michael Jackson alega ter vitiligo, uma doença autoimune que causa descoloração da pele. Alguns afirmam que MJ se submeteu a tratamento intensivo com Hidroquinona, que causa clareamento da pele.
- Apesar de sua aparência visivelmente diferente do ínicio de sua carreira, MJ só confirma duas plásticas, que segundo ele foram para corrigir uma fratura nasal. Alguns ainda dizem que o cantor mantem parte do nariz conservado em uma jarra em casa.
-Alguns dizem que Jackson dorme em câmara hiperbárica para diminuir o envelhecimento.
-Michael Jackson comprou os direitos autorais do catálogo ATV. Tal Catálogo possui canções dos Beatles, Elvis Presley, dentre outros. Por esse fato, Michael e o ex-Beatle Paul McCartney são brigados.

- Paula Abdul teve um caso com o irmão de Michael, Jackie Jackson, o que resultou no fim do casamento do mesmo em 1987.
Bem gente, é isso por essa semana, espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre Michael Jackson, a lenda do Pop. Eu sei que muitos de vocês não gostaram do tema dessa semana, mas eu acho que ele merece MUITO uma semana. Ele influênciou diversos artistas da atualidade, e marcou uma era da música. Muitos devem lembrar da apresentação do David Cook de “Billie Jean”, que na minha opinião nem chega aos pés da versão original, mas pelo menos serviu pra trazer essa música e seu criador, de volta à mídia. Na temporada passada, o tema apareceu no X-factor e no Australian Idol, e digamos que no mínimo foi interessante. Na atual temporada, Kris Allen cantou “Man In the Mirror”, levando-o ao top 13. Ah, e não deixem de ver todos os vídeos que separei, deu trabalho para achar (alguns não estão em HQ e não são os clipes, pois as pessoas que postaram proibiram a exibição). Enjoy!! =D