LaceyBrown

ENTREVISTA EXCLUSIVA: Lacey Brown

O American Idol Brasil começa esta semana mais uma novidade. Você vai conferir no nosso site entrevistas que os Idols eliminados deram para midia americana cadastrada pela produção da FOX. Graças à nossa parceria com o Canal Sony, teremos agora acesso EXCLUSIVO a este material. É uma ótima oportunidade para conhecermos melhor o Top 12 e ficarmos por dentro dos próximos passos de cada um.

Começamos por Lacey Brown. Na segunda tentativa de se tornar um ídolo americano, Lacey conseguiu ficar entre os 12 finalistas. Nesta entrevista, a jovem cantora fala sobre o que deu errado nas suas apresentações, suas influências e como pretende estreitar o relacionamento com os fãs.

P. Há muito se fala sobre as críticas conflitantes dos jurados. “Adeque a música ao seu estilo”, “Não se fixe na versão original”. Além de tudo isso, existe ainda a pressão normal de fazer o que você gosta. Você acha que as pessoas têm um senso real de quem você é como uma artista? Se não,  poderia nos dizer como você se vê artisticamente?

L. Brown: É difícil lidar com as críticas porque era um pouco confuso e, portanto, gostaria de mudar as coisas a cada semana. Isso realmente pode deixar a audiência se perguntando quem eu sou. Eu diria que sou uma artista muito diferente. Tenho uma voz muito diferente, que não é adequada para uma grande quantidade de gêneros, mas me vejo mesmo fazendo mais ou menos um álbum com uma mistura de folk pop. Eu definitivamente me vejo fazendo um álbum em breve. Adoraria fazer isso se conseguir essa chance. Sabe, eu só quero dar às pessoas a oportunidade de ouvir algo que é fresco, novo e diferente. Não há vozes como a minha no rádio agora, então me orgulho do fato de ser diferente. Sempre fui um pouco mais original e tento aceitar e mostrar isso em minhas apresentações. Espero que as pessoas consigam ver isso e que gostem.

P. Quem você acha que vai ganhar a competição? Você está depositando sua esperança em alguém?

L. Brown: Essa é uma pergunta muito difícil de responder. Cada um dos competidores que ainda está lá é muito original. Consigo ver qualquer um deles alcançando o objetivo principal. Alguém tem de ganhar, então vamos ver quem é.

P. Depois de chegar tão longe na temporada passada, o que fez você querer voltar este ano?

L. Brown: Sou uma pessoa muito competitiva, e decidi que essa experiência era muito divertida para não tentar novamente. No ano passado era Top 36 em vez de 24. Se eu tivesse chegado à próxima etapa, não teria podido voltar este ano, então estou realmente feliz de ter tido esta segunda chance.

P. O que você acha que fez de errado?

L. Brown: Provavelmente teria que dizer que faltou energia. Eles [jurados] pediam energia nas minhas apresentações e foi o que tentei mostrar, mas continuaram dizendo que era tudo parado demais. Queriam ver um pouco mais de energia porque sou uma pessoa muito feliz, mas isso não transpareceu nas minhas músicas. O problema é que eu realmente amo cantar baladas. Adoro contar uma história com uma canção. Amo a emoção da música. Sou muito ligada a arte então esse lado transpareceu mais. E acho que eu escolhia as músicas que eu gostava de cantar e sentir e talvez isso não foi muito inteligente, mas não teria mudado nada disso porque fui eu mesma.

P. Quais são suas influências e com que tipo de artista você gostaria de trabalhar em um álbum?

L. Brown: Tenho um monte de influências. Uma das minhas maiores influências é Patsy Cline. Infelizmente não poderei trabalhar com ela, mas tenho aprendido sobre como apenas contar uma história e fazer você se apaixonar de novo, esse tipo de coisa. Ela era uma grande intérprete. Aprendi muito aqui. Além disso, há pessoas novas que eu tenho acompanhado como Pete Yorn, que é um músico incrível e cantor com um estilo bacana. Muitas pessoas não sabem quem ele é, mas acho que ele está próximo de alcançar o estrelato. Tem um monte de bandas indies de que eu gosto, então me inspiro em várias fontes. Gosto de chocar um pouco, então às vezes pego uma canção de Imo e a transformo em algo totalmente diferente. Gosto de confrontar os estilos. Não estou satisfeita em apenas cantar uma música dos Rolling Stones como os Rolling Stones a cantaram. Entende o que quero dizer? Então foram legais as oportunidades que tive para fazer tudo o que fiz no palco, e acho qie foi muito divertido.

P. Como as pessoas podem entrar em contato com você?

L. Brown: Tenho um monte de fãs em vários lugares diferentes porque antes do Idol eu tinha conexões em diferentes estados graças à minha família e aos meus amigos. Por isso estou muito feliz de ter conseguido utodos os fãs que consegui. Sobre como eles podem entrar em contato comigo, tenho Twitter e Facebook. Não pude atualizá-los como gostaria, mas agora que estarei no controle de tudo, vou poder ter tempo de conversar bastante com eles e agradecê-los pelo apoio. Será um ótimo lugar para começar e, provavelmente, em breve eu vou ter outras opções para que eles entrem em contato comigo.

Acesse aqui o perfil oficial da Lacey Brown no American Idol Brasil