simonfuller

Entrevista com Simon Fuller

Ei pessoas. Pseudo traduzi uma entrevista do Simon Fuller pra postar aqui.
Eu coloquei a maioria das perguntas do melhor jeito que consegui (já que ele fala umas coisas nadaver, haha!), mas quem quiser ler a original, clique aqui. Ela em português vocês conferem ali embaixo:

Tivemos mudanças visíveis com o programa esse ano. Como você decidiu isso?
Eu senti que tínhamos que mudar algumas coisas essa temporada. Passei muito tempo pensando nisso sozinho e nós tivemos algumas reuniões com os produtores, Fox e a Freemantle. É claro, a maior mudança de todas foi a adição de um quarto jurado.
Quando você decidiu contratar um novo jurado?
Nós estávamos pensando nisso há anos. O raciocínio por trás disso era apenas adicionar uma outra voz, personalidade e dimensão. Eu discuti isso com Simon (Cowell), e ele concordou que era uma boa ideia. E é uma ótima mudança.
Por que Kara DioGuardi é a pessoa certa para o cargo?
Nós consideramos muitas pessoas diferentes em todas as áreas da indústria musical, e algumas que nem fazem parte dessa indústria. Mas terminamos com Kara porque ela realmente é completa. Ela é cantora e compositora, então entende as músicas e sabe do que alguém precisa para ser cantor e se apresentar. E ela entende muito da indústria, muito inteligente, vivaz e divertida. Então foi uma decisão relatrivamente fácil.
Houve alguns relatos sobre um plano para voltar aos três juízes na próxima temporada, que talvez um outro jurado saia.
Isso são apenas rumores. Nós colocamos um quarto jurado para ter quatro jurados.Uma das coisas que aprendemos e vamos aproveitar no próximo ano é que houve alguns programas em que não tivemos tempo suficiente; tentamos acabar alguns deles cedo demais. Agora todos concordam que ano que vem temos que fazer esses programas com uma hora e meia, assim teremos mais tempo para ouvir os quatro.
Cowell recentemente declarou que ele considera deixar o programa após a próxima temporada. Qual sua reação?
O que quer que ele faça, ele fará depois de pensar muito e com boas razões. É algo sobre o que nós não discutimos muito, mas eu acho que ele não sairá tão cedo. Eu acho, sim, que ele quer evoluir, e há muitos jeitos de fazê-lo com “Idol”. Eu não consigo imaginar Simon não participando do programa.
Que tipo de coisas o ajudariam – e aos outros jurados – a evoluir?
Há muitas oportunidades. É uma grande franquia global, é o maior programa de TV do mundo. E quando se lida com o maior programa de TV do mundo, você consegue dar um jeito nas coisas.
E sobre as outras mudanças desse ano? O “veto” dos jurados é novo.
O veto foi, também, uma ideia que tínhamos há pelo menos dois anos. Mas temos que ser cuidados com “Idol”. Nós não queremos fazer mudanças apenas por fazer. Mas o veto trouxe um novo ar ao programa de resultados, adiciona um pouco mais de drama. Nós sempre pensamos nos resultados como uma parte do programa que podia melhores. E agora realmente parece um episódio de peso, e a audiência comprova isso. Na maioria das semanas, há um aumento em relação ao ano passado.
O programa de resultados também se tornou um meio de divulgar música, principalmente para os “Idols” antigos.
Nós apoiamos os Idols, e eles continuam a nos apoiar em outras áreas. Nossos artistas são formidáveis, quando pessoas olharem nossa lista de artistas no futuro, rivalizará com qualquer fenômeno musical. E nós podemos perpetuar isso através dessa sucessão e o apoio de tê-los no programa todas as semanas.
Qual foi a melhor coisa nessa temporada até agora?
Há duas ou três coisas que causaram muita conversa. Eu acho que Kara fez uma diferença positiva. Você pode achar que é uma boa ou uma má ideia tê-la no programa, mas há sempre uma opinião. E a outra coisa é que o talento esse ano é sem dúvidas o mais variado de todos. Coisas como o veto são boas, e até mesmo a pergunta “será que Simon vai embora?”. Eu amo tudo isso.
Parece que há sempre algum boato sobre o programa. Há algum tipo de propaganda negativa para “Idol”?
Esse tipo de propaganda é boa. Eu amo o debate. Desde que a fofoca e a conversa sejam ficadas no entretenimento, é bom. Uma polêmica é a questão da audiência – se está alta ou baixa. Até mesmo esse debate é ótimo, porque nós somos, de longe, o programa número um, e a distância entre o “um” e o “dois” é maior esse ano do que em todos os outros. Se você quer se preocupar com estatísticas, que tal essa?
Mas também há conversas esse ano sobre o desgaste do formato. O programa está perto de acabar?
De modo algum. Se você olhar no contexto de outros programas na nossa categoria, nós estamos melhor do que qualquer um. Número um é número um, e se você está mais à frente do “dois” do que estava ano passado, é tudo que importa. Se você fosse fazer uma propaganda, onde colocaria? É tudo relativo. Se mais pessoas estão na internet, então esse é o mundo em que vivemos. Ou talvez estejam saindo mais, e isso é ótimo porque talvez eles venham ver o show do “American Idol”, ou ouvir nossas músicas online, ou visitar nosso site. Nós estamos em todos os lugares, então mesmo que as pessoas mudem sua forma de entretenimento, é provável que o “American Idol” ainda esteja em suas vidas.
Por mais quantos anos você espera que o programa continue?
Eu nem pensaria nisso em termos de anos, porque é mais de cinco, e você provavelmente vai passar dos números com dois dígitos. Quero dizer, por que não continuar? É uma pergunta como “quando as pessoas vão parar de assistir futebol?”. Eu vejo as coisas nesse contexto.
Como o “Idol” se beneficiou da parceria com o iTunes?
Não fez do “American Idol” um programa maior, mas com certeza ajudou com o consumo das músicas, porque se nós não estivéssemos trabalhando exclusivamente com o iTunes, nós provavelmente estaríamos trabalhando em nosso site, como fizemos em temporadas passadas, que não é bom como o iTunes. É uma boa relação, mas é uma relação comercial, e o iTunes pode decidir que não quer mais gastar seu dinheiro no próximo ano. E se isso acontecesse, seria uma pena, mas não mudaria muita coisa para nós.
Você está discutindo isso com a Apple no momento?
Não, mas pessoas assistindo “American Idol” sempre irão querer ajudar os artistar e comprar sua música, e farão isso não importa como. E é uma ótima relação que deve continuar. Mas se der certo, tudo bem, e se não der, tudo bem também. Algumas companhias estão parando de investir tanto dinheiro. Se isso acontecer amanhã ou na próxima temporada, terá um efeito mínimo sobre nós.
Ano passado você disse que a sua visão real era dar aos consumidores entretenimento. Há algo de novo a respeito disso?
Isso é provavelmente a primeira coisa na minha lista de prioridades. Nós estamos envolvidos em inúmeras discussões, então não há nada mais a anunciar. Mas você pode acreditar que isso está em nossas mentes, e provavelmente veremos isso ano que vem. É trazer o fã de música mais perto de “American Idol” e aos artistas. Nós estamos pensando sobre como podemos alcançar um artista de um jeito em que a conexão seja quase instantânea. É muito difícil agora chegar à música que você ama, pois há muitas barreiras. O futuro é para acabarmos com essas barreiras, e isso é algo que queremos fazer logo.
E quanto à relação entre a 19 Entertainment e os participantes, como evoluiu?
Contratualmente, nós temos opções em todos os participantes. Esse sempre foi o caso. Mas nesse ponto
, não significa que nós sempre iremos optar por eles. Tem que parecer certo, precisamos sentir que há uma relação ali. Nós sempre contrataremos o vencedor e teremos os direitos de gravação. Eu me sinto muito mais emocional quanto a essas coisas agora do que nunca, quero que todos estejam focados e animados.