anoop-desai

Entrevista com Anoop Desai

Confira logo abaixo o áudio e a transcrição, em português, dessa entrevisa feita pelo AIBR com Anoop Desai.
É só dar o play!

[display_podcast]

AIBR – Anoop, você tinha ideia do quanto o programa era conhecido fora dos Estados Unidos? E não somente o programa, mas os participantes têm um grande número de fãs aqui no Brasil. Ficou surpreso com isso?
Anoop: Realmente fiquei no começo. Porque sempre fui fã do programa e assistia com muito entusiasmo nos EUA, mas quando participa do programa é que começa a perceber até onde ele alcança. Sempre que estou em outro país conto a história de que, recentemente, quando estive em Londres promovendo o álbum, a primeira pessoa que vi quando saí do avião foi uma oficial da alfândega e ela me olhou como quem dissesse “Caramba! Não acredito que é você”. E isso sempre é estranho para mim, porque essas coisas são esperadas nos EUA, mas com certeza no exterior, é maravilhoso! E alguns dos meus fãs mais ávidos, mais ativos estão no exterior, alguns deles no Brasil, na verdade.

AIBR – Conheceu algum fã brasileiro?
Anoop: Sim, conheci. Alguns, durante a turnê. Lembro-me de alguns que vieram na turnê e tinham cartazes escrito “Sou do Brasil”, “Vim do Brasil só para este show” e isso é muito legal. E pude falar com eles um pouquinho e agradecê-los pelo apoio.

AIBR – Você disse que assistia ao programa antes de participar. Tem algum ex-participante favorito?
Anoop: Para mim, Fantasia. Não acho que alguém consiga ter uma voz melhor do que ela. Acho que ela é verdadeiramente um mestre.
AIBR – Ela é incrível!
Anoop: E o que ela fez no programa e nas suas gravações, foi apenas o começo. Se assistir um show dela ao vivo, vai ver que ela não erra uma nota. Ela é uma das cantoras mais impressionantes que já vi.

AIBR – Já assistiu ao filme sobre a vida dela?
Anoop: Não, ainda não assisti.
AIBR (Olavo) – Não? É muito bom.
Anoop: É. Eu não me identifico com ele, necessariamente, mas a cidade onde ela morava, High Point, é cerca de 1h30 da minha. Fantasia, Chris Daughtry, Kellie Pickler e eu somos do mesmo estado então…
AIBR (Olavo) – Acho que é muito legal saber que faz parte daquela família. Não é?
Anoop: Totalmente. E realmente somos uma família, digo, todos os participantes do programa têm um vínculo em comum e essa é a razão de pessoas como Brandon Roger e Elliott Yamin serem meus amigos, pois temos essa experiência em comum.

AIBR – Você ficou muito surpreso quando os jurados decidiram abrir uma exceção e incluí-lo no Top 12, criando assim, o primeiro Top 13 da história?
Anoop: Foi incrivel! Todos eles me enganaram muito bem. Não estava esperando aquilo, sabe? Fiquei feliz. Acho que era algo que, eu sabia que merecia estar ali e fiquei feliz que eles também viram dessa maneira e meio que me deram o privilegio e me promoveram mais por ser o 13º participante. Sou muito agradecido.
AIBR – E acho que tinha tantas pessoas talentosas, para passarem apenas 12, não é? Foi ótimo escolherem 13…
Anoop: Sim.
AIBR – Tínhamos chats ao vivo durante o programa, e ano passado quando você não entrou para o Top 12, dissemos “O quê? Anoop não está no Top 12? Como assim?”
Anoop: Eu agradeço por isso.
AIBR – Foi realmente demais.
Anoop: Sim, e foi tão surpresa pra mim quanto foi para as pessoas em casa, te garanto. Não tinha ideia do que ia acontecer.

AIBR – Agora, um ano depois de a temporada terminar, você acha que teria feito as coisas de forma diferente, para quem sabe, mudar o resultado?
Anoop: Acho que definitivamente teria feito de forma diferente se entrasse na competição agora, mas somente porque eu já tive o processo de aprendizado. Sempre digo que fiz o melhor que pude com o que sabia e com o que tinha, e ainda penso que esse é o caso. Sendo um ano depois e sendo mais sábio em relação à indústria, ao programa e de como as coisas são, com certeza algumas de minhas escolhas teriam mudado, mas dizem que só percebemos depois que passa.

AIBR – E logo após sua eliminação, chegou a pensar que não conseguiria seguir a carreira musical? Que tudo tinha acabado?
Anoop: Sabia que seria difícil, mas nunca sequer passou pela minha mente que não conseguiria fazer isso. Acho que é apenas o tipo de pessoas que sou. Se eu sinto vontade de fazer algo, e normalmente sinto, vou fazer. E realmente sabia que isso era algo que queria fazer, que sentia muita vontade e que me fazia feliz. Desde o momento que deixei o programa até o momento que a turnê começou, essa sempre foi minha motivação para seguir em frente,  seguir com minha carreira e felizmente estou numa fase onde estou prestes a lançar um álbum, dia 04 de Maio, meu álbum de estreia, “All is Fair”, e está tudo começando a se tornar realidade mesmo. Tenho muita sorte porque tive essa plataforma do American Idol e estou aproveitando e usando-a.

OUÇA O SINGLE DO ANOOP
[media id=590]

AIBR – Conte-nos algumas coisas boas que aconteceram depois do programa para você. O que ele trouxe para você?
Anoop: Sinceramente, me deu o caminho que precisava para lançar este álbum. Como tenho dito, o álbum é realmente a luz no fim do túnel, foi o que sempre busquei, ter uma carreira musical. Então, honestamente, a melhor coisa que pode ter acontecido foi o programa me dar os recursos, contatos e o reconhecimento, e poder buscar isso em uma escala muito maior.

AIBR – E, sabemos que não está lançando apenas um EP, certo? Está lançando quantos?
Anoop: Bem, este primeiro álbum terá 8 faixas, será curto. Chamamos de álbum, EP, não importa. Muitos artistas lançam álbuns com 15 musicas e você não ouve falar deles de novo por uns dois anos. O que estamos planejando é lançar álbuns, EPs mais curtos, com menos tempo de lançando entre eles. Então definitivamente pretendo lançar outro EP no fim do outono deste ano, se der tudo certo. Então a ideia é manter meus fãs felizes, continuar atraindo novos fãs e então se torne uma bola de neve e o ímpeto não acaba e somos bem sucedidos no que fazemos.

AIBR – Última pergunta sobre Idol, antes de continuar falando sobre seu álbum. Está acompanhando a temporada atual?
Anoop: Sim, estou. Teve um episódio ontem (Top 7 – Inspirational Songs) e infelizmente não consegui assistir inteiro, mas estou acompanhando.

AIBR – E tem algum participante favorito? Quem acha que está se saindo melhor?
Anoop: Sou muito fã do Michael Lynche. Talvez seja porque adoro R&B e é esse estilo que ele canta, mas eu o acho incrivelmente talentoso e a Crystal é insanamente talentosa. Esses dois são, provavelmente, meus favoritos dos que sobraram.

AIBR – Deixando um pouco o Idol e falando de sua vida pessoal. Você acha que fazer parte do UNC Clef Hangers o ajudou a lidar com todo o processo no processo, ou isso não existe?
Anoop: Acho que com certeza ajudou. Com o Cleff Hanger foi incrível. Não é apenas um grupo de melhores amigos, não foi só uma experiência maravilhosa, mas me ensinou a apresentar uma variedade de diferentes gêneros e como colocar meu toque nelas. Então eu diria que foi o treinamento perfeito para o que encontrei no Idol.


AIBR – Falando mais sobre seu álbum. Quais foram suas inspirações e o que podemos esperar dele musicalmente?
Anoop: Bem, trabalhei com várias pessoas diferentes neste álbum e muitas músicas começaram com “Então, deveríamos escrever uma música como essa”. Basicamente, tentamos copiar algumas de nossas musicas favoritas ou artistas favoritos. Acredito firmemente que toda música pop remete a Stevie Wonder e Michael Jackson, de alguma forma a música pop remete a eles. Sou um grande fã deles e, obviamente, eles tiveram grande efeito em minha música e no que componho. Dito isso, acho que as pessoas podem esperar um bom álbum pop. Podem esperar músicas que irão querer cantar junto também, que irão grudar na cabeça, espero. E também músicas muito pessoais, pois cada uma delas fala de um período da minha vida, ou de uma pessoa em minha vida, sobre o qual tive de escrever. Então eu realmente acho que isso foi como uma janela para dentro da minha mente e do meu coração. E, claro, o titulo do álbum é “All is Fair”, e a segunda parte desse ditado é “All If Fair in Love and War” (Vale tudo no amor e na guerra), então todas as musicas são sobre amor, não necessariamente musicas de amor, porque nem todas são felizes e nem todas são românticas, mas todas são sobre o processo que é o amor.

AIBR – E você tem alguma favorita?
Anoop: Essa é difícil. É como escolher o filho favorito, para um pai. Porque gastamos tanto tempo compondo, tentando fazer tudo certo, então realmente amo todas de uma forma diferente. O mais legal dessas musicas é que cada uma tem sua própria melodia, emoção, aura. Então, de certa forma, é como comparar água e vinho.

AIBR – Como foi ter controle total da produção do álbum?
Anoop: Bem, essa é um das vantagens de ser um artista independente e desde o primeiro dia em que disse “certo, vamos compor a primeira música”, até hoje, quando o estamos promovendo, anunciando e esperando que as pessoas apoiem esse esforço independente, tem sido realmente meu esforço. Então posso me orgulhar disso e torcer que as pessoas também tenham certo orgulho do trabalho como está, pois contém todo meu coração, alma, esforço. Todo o meu tempo, dinheiro, suor, lágrimas e tudo mais, estou colocando nisso.

AIBR – Você tem alguma expectativa em relação à sua turnê promocional e conhecer seus fãs do mundo todo, inclusive do Brasil, esperamos?
Anoop: Tenho sim. Recentemente conversei com meu empresário e realmente quero ir ao Brasil, em algum momento muito em breve. A parte promocional de tudo isso é divertida, pois você fala sobre sua musica e realmente pode mostrar às pessoas que não é só aquele cara que apareceu no American Idol, mas que é um artista e cantor legitimo, alguém que deve ser levado a sério. E felizmente temos recebido opiniões positivas de pessoas na indústria, fora da indústria, fãs de ocasião, fãs comprometidos… Até agora tudo tem sido muito positivo. E é isso o que a turnê promocional é para mim, ver a percepção das pessoas, se elas vão gostar da música, do meu estilo e, felizmente, acho que a resposta para todas é sim.

AIBR – Você conhece algum artista brasileiro ou alguma música?
Anoop: Infelizmente, não.
AIBR – E sabe alguma coisa sobre o país ou algum lugar que gostaria de visitar?
Anoop: Sim, digo, na verdade nunca estive na América do Sul e me odeio por isso. Porque sempre adorei falar Espanhol, no Brasil sei que é diferente, mas sempre amei a comida Sul-Americana, mais do que tudo. A cultura, a língua, a vivacidade das pessoas é algo que realmente me atrai. Como minha família é da Índia, acho que realmente valorizo outras culturas e gosto de observar o paralelo entre a cultura onde cresci e as outras. Então sempre estou muito ansioso para sair por aí e experimentar coisas novas e lugares novos, porque penso que se ficar em um lugar sua vida toda, e isso for tudo o que conhecer, sinceramente está perdendo 99% do mundo e isso é trágico.
AIBR – Então você está convidado.
Anoop: Certo. Acho que vou aceitar o convite.

AIBR – Não sei se você sabe, mas temos nossa versão do American Idol aqui no Brasil.
Anoop: Sim, eu sei.

AIBR – E alguns fãs do programa, e até mesmo fãs seus, provavelmente vão fazer a audição para esta temporada. Você tem algum conselho para dar a eles?
Anoop: Tenho sim. Primeiro de tudo, pode parecer clichê, mas o mais importante é ser você mesmo. Se aprendi alguma coisa, é que as pessoas enxergam através da falsidade, melhor do que qualquer coisa. Existe esse sexto sentido em que as pessoas percebem se não está sendo fiel a você mesmo, então, não tente ser outra pessoa, não tente analisar demais o que você acha que os jurados querem ver. Tem de ser você mesmo e se for para acontecer, simplesmente acontece. E desejo a todos muita sorte. E o fato é que, provavelmente, vai chegar mais longe sendo você mesmo do que sendo outra pessoa.
É uma daquelas experiências que se tem de passar, tem de fazer para saber como é. Mas no final das contas, quer ter orgulho do que fez, não quer chegar a lugar algum dizendo “Quero ser o próximo fulano” (so-and-so), você precisa pensar que “Tenho de ser único, eu mesmo”.

AIBR – Bem, sei que fãs ficarão muito felizes com esta entrevista. Você gostaria de mandar alguma mensagem, convidá-los a ouvir sua música..?
Anoop: Sim, com certeza. Olá e obrigado a todos os meus fãs no Brasil. Vocês são alguns do mais ativos e mais incríveis fãs, mais do que poderia imaginar ter. Espero que apoiem essa causa, a causa da minha música, como um artista independente e divulguem por todo o país, pelo mundo. Por favor, visitem o AnoopDesai.com. Também podem me seguir no twitter.com/AnoopDoggDesai e também tenho um perfil no Facebook. Então, ouçam minha música, comprem o álbum, comentem o que acharam, deixe sua opinião nos fóruns do site oficial.
Espero que gostem e espero vê-los pessoalmente, em breve.

AIBR – Em nome da equipe AIBR, agradeço por sua atenção e desejamos muito sucesso em sua carreira.
Anoop: Muito obrigado. Agradeço mesmo, pessoal.

A equipe AIBR agradece a Anoop Desai e sua produção por essa entrevista.
AIBR staff would like to thank Anoop Desai and his crew for this interview.

** E fiquem ligados porque logo haverá mais surpresas especiais para você, fã do American Idol. **