[SPOILER] American Idol: S10E30 – Top 6 Performances

Audios Performances Zipado (BREVE) | Audio Performances Separados (BREVE) | Video Performances (BREVE)

E no trigésimo episódio da temporada, temos as apresentações do Top 6, que pela primeira vez, além das performances individuais, terá espaço para duetos entre os participantes.

E dando o tom da noite, o tema mais uma vez homenageia uma lenda da música. Dessa vez, a semana é dedicada à Carole King, cantora e compositora com 29 discos, várias músicas de sucesso, 4 Grammys e cooperações lendárias, tendo trabalhado com artistas como Celine Dion, Rod Stewart, James Taylor, entre outros.

Nessa semana, somando forças ao comentarista de sempre, Felipe, temos a presença de Vanesa Mesquita, de Indaiatuba, SP, que acompanha o programa desde a 6ª temporada; e Jânio Jordão Júnior, de São Paulo, capital, que assiste ao programa desde a 7ª temporada.

Confira conosco as apresentações da semana, links e opine na nossa seção de comentários!

Jacob Lusk – Oh No, Not My Baby

[media id=1109 width=630 height=380]

Felipe: Não sei o que eu critico primeiro, se é ele cantando ou se é essa roupa HORROROSA que ele escolheu vestir. Atestado que ele não é gay, ele não tem senso nenhum de moda. A parte da música eu até gostei de alguma coisa, foi legalzinho, mas eu não consigo achar ele nem um pouco carismático. E semitonou bonito nos gritos. Depois de um bottom, ainda botam ele pra abrir o programa. Leia-se, faça as malas.

Vanesa: Olha. Antes de mais nada, nem vamos comentar o modelito, né. Afinal de contas, é American Idol, e não Project Runway. Assim como não é Dancing with the Stars. Todo esse papo de “adorei que você chacoalhou o esqueleto” pra mim não conta nada. A questão é: ele cantou bem? Sinceramente não achei nada de sensacional. Achei que a primeira metade da música foi medíocre, mas da segunda estrofe pra frente gostei bastante, aliás, bem mais que as últimas apresentações melancólicas dele.

Jânio: Ótima apresentação, não desafinou, soube controlar bem, não exagerou muito nos agudos. Não foi a melhor performance dele, mais concerteza foi o suficiente pra continuar.

Lauren Alaina – Where You Lead

[media id=1110 width=630 height=380]

Felipe: Essa música é a música da minha adolescência, vendo Gilmore Girls e sempre cantando junto com a abertura. Ela pegou a música e mudou ela totalmente, então por isso, ela ganha bastante crédito. Mas mesmo assim, como sempre a mesma apresentação morna e sem muita emoção, tirando a emoção do menino que ela puxou pro palco e ficou olhando a bunda dela como se fosse mosca em direção a luz.

Vanesa: Gente, alguém me explica essa história de “you have to push”? O que os juízes querem, que a menina exploda? Cada um tem sua área de conforto, e é o que a pessoa consegue fazer dentro dessa área que faz o artista. De vez em quando, aparece um que parece que não tem limites e parece que a área de conforto é infinita, tipo Kelly Clarkson. Não é o caso da Lauren. Eu gosto muito da voz dela, mas acho que a zona de conforto dela é música country. Além do mais, fica claro que a idade dela traz muita insegurança ainda, o que sempre influi no resultado. Eu gosto muito da voz dela como artista Country e posso estar enganada, mas se ela amadurecer e cair na mão dos produtores certos, pode ser melhor que a Carrie Underwood.

Jânio: Foi uma boa apresentação, se movimentou bem, e todos ficam impressionados que ela com 16 anos tem tanta técnica, como os jurados disseram, foi legal ver ela forçando mais. Foi uma performance segura, e cada vez mostra mais avanço.

Casey Abrams e Haley Reinhart – I Feel The Earth Move

[media id=1111 width=630 height=380]

Felipe: Gostei muito da combinação, como já haviamos visto anteriormente eles cantando, que tinha ficado muito bom. As vozes deles se complementam muito bem. Adorei mesmo, mas ainda preferi o outro dueto que eles cantaram. E se eles formassem o primeiro casal Idol ia ser muito fofo!

Vanesa: Gente, esse dois debem ser gêmeos que foram separados no nascimento! Eles já tinham cantado juntos antes, e já tinha sido um arraso! A voz deles casa muito bem, foi sensacional. Se alguém duvida do talento dos dois, please, é só assistir essa apresentação. Nos solos, os dois arrasaram, e na harmonia, ficou tão gostoso que eu não queria que eles saíssem do palco.

Jânio: Os dois tem uma ótima potência vocal, tem o timbre de voz semelhante. Essa voz rouca. Já tinha imaginado eles se apresentando juntos, suas vozes casaram bem. Outra ótima apresentação.

Scotty McCreery – You’ve Got A Friend

[media id=1112 width=630 height=380]

Felipe: Entendi a temporada de chuvas bizarras no Rio de Janeiro, era pra anunciar que o Scotty ia se sair bem essa semana e eu ia gostar! Finalmente largou o banjo, harmônica e todos os instrumentos que me levassem a imaginar um pasto com um trator movido a jegue no horizonte. Ele tem que continuar a explorar outras coisas que não aquele country root que nele fica um saco.

Vanesa: Gente, é o seguinte: esse moleque é muuuuuito pronto. Só que ele é pronto para um nicho muito específico. Ele é o country mais clássico que existe. Você pode gostar ou não de música Country, mas o programa chama-se American Idol e na América do Norte música Country é muuuuuito popular. Eu achei que ele mandou muito bem, ele é afinado demais e eu imagino que as gravadoras de Nashville devem estar alucinadas pra assinar com o cara. Eu gosto muito de country e acho ele demais. Ponto. Essa história de achar ele (e outros) sempre “mais do mesmo”, me irrita um pouco. Quando você é fã de um artista, você quer mais dele, não? I rest my case.

Jânio: Uma das melhores apresentações do Scotty, ele cantou uma oitava acima do que ele costuma cantar. Uma das músicas mais famosas da Carole King. O arranjo ficou muito bom, e fez jus a versão original.

James Durbin – Will You Love Me Tomorrow

[media id=1113 width=630 height=380]

Felipe: Gostei muito mais dele essa semana que nas semanas passadas! A qualidade diferente da voz dele que é muito gostosa de se ouvir pode ser totalmente percebida com essa apresentação. Quando os pianos com fogo, soldados quebra-nozes e outras firulices são deixadas de lado e a música é o centro das atenções, é onde a mágica acontece, e por isso que o American Idol é o que é, comparado aos outros programas de canto que tem. Way to go, James!

Vanesa: James Durbin!!!!! Que refresco! Depois de algumas apresentações em que ele só recebeu elogios por ter extrapolado o limite permitido de decibéis no recinto do AI, que performance fantástica. A gente conseguiu ouvir a voz dele de novo, que eu quase tinha esquecido, é uma DELÍCIA!!!!!!!!!!!!!!!! Adorei a versão. Ele conseguiu pegar uma música que bem poderia ter sido chatinha, e transformou numa balada com um toque rock que simplesmente ficou demais. Sou obrigada a desculpar o Randy pelo display de empolgação… Não chegou a repetir a façanha do David Cook com Hello, mas é altamente comparável.

Jânio: Esse eu sou suspeito pra falar. É meu preferido. É extraordinário a potência de voz dele, cada semana ele melhora. O começo da música, realmente foi mágico quando ele cantou sem intrumentos. Sem dúvida nenhuma a melhor apresentação da noite.

Lauren Alaina e Scotty McCreery – Up On The Roof

[media id=1114 width=630 height=380]

Felipe: Dueto legalzinho, mas só. Me deu sono no final. A voz dos dois tava boa, principalmente a da Lauren, que achei muito melhor que a do solo dela, mas no final das contas, foi mais uma vez a mesmice de sempre. Next.

Vanesa: Bom, essa apresentação só me fez acreditar ainda mais no que eu já sabia: os dois nasceram para o country. Muuuuuuito melhor a Lauren nessa perfomance que na música que ela escolheu pra apresentação solo dela. Os dois juntos já se apresntaram duas vezes juntos, eu acho, nos dias de eliminação, e todos os duetos fazem os dois parecerem feitos um para o outro. Musicalmente, claro.

Jânio: Linda apresentação, outros dois que as vozes casaram muito bem. Lauren na voz principal e Scotty fazendo segunda voz. Música apresentada vocalmente sem nenhum erro de execução.

Casey Abrams – Hi-De-Ho (That Old Sweet Roll)

[media id=1115 width=630 height=380]

Felipe: Nossa, essa semana está sendo muito melhor do que eu esperava! Casey voltou pras raízes que eu sempre amei dele, algo no meio de “I Put A Spell On You”, que fica perfeito pra essa voz rasgada dele. O arranjo estava perfeito, a voz combinou, o estilo fez sentido. Excelente apresentação!

Vanesa: Casey Abrams!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu QUASE quero dizer que não precisa comentários. QUASE. O cara é de-mais. Se eu for me perguntar qual CD eu estou louca pra comprar depois do programa acabar, com certeza é o dele. Ele faz um mix perfeito de jazz, blues e rock. Essa voz dele é muito particular e eu a-do-ro. Pra mim, ele arrasou.

Jânio: Ele é realmente o artista pacote completo. Além de ser músico, ele sempre traz algo diferente. Foi uma boa apresentação, mas não sei se foi suficiente. É bem provável que esteja entre os 3 menos votados.

Haley Reinhart – Beautiful

[media id=1116 width=630 height=380]

Felipe: Haleão voltooooooooooooooooooooooooooou!!!!!!!!!!!!! Excelente apresentação, principalmente a parte do final, conseguiu controlar alguns problemas de respiração que ela teve no início, que me fizeram ficar preocupado de que as coisas iam se encaminhar pros problemas de semana passada, mas ela contornou lindamente! Melhor da noite!

Vanesa: Gente, o que acontece? Sabe o que estou achando? Eu acho que esta temporada foi tão forte em termos de talento que os juízes não tem muito o que malhar e aí vem essas coisas, como o Randy dizendo que não amou o começo da música. Vai lá e faz melhor, meu! A Haley é incrível. Quando eu soube que o tema do Top 6 seria Carole King, sabia que ela ia matar a pau. Agora, toda temporada tem um bode, né. Infelizmente o bode (ou cabrita, neste caso) desta temporada é a pobre da Haley. Não entendo. A voz dela é riquíssima, ela consegue rosnar como a Etta James e atingir agudos quase como a Mariah Carey e é super simpática e à vontade no palco, e fica sempre nos bottom 3.

Jânio: Não começou muito bem, mais compensou no final. Canta muito bem, tem um agudo que é difícil de ver alguém alcançar as notas que ela alcança. Voz muito pra Blues. Linda apresentação.

Jacob Lusk e James Durbin – I’m Into Something Good

[media id=1117 width=630 height=380]

Felipe: O início foi meio estranho, mas eles se acertaram no refrão. Mesmo assim, foi o “dueto retalho”, já que os outros dois duetos já estavam prontos, sobraram só eles mesmo pra cantar juntos. Fizeram um ótimo trabalho apesar disso e foram bem também. Gostei bastante dos duetos da noite!

Vanesa: De todos os duetos, o menos sensacional. Não dá pra dizer que foi ruim, cada um no seu papel cantou o que devia. É uma das músicas que mais gosto da C. King, e acho que faltou alguma coisa…sei lá.

Jânio: Não tem nem o que falar desses dois né ? São duas das melhores vozes masculinas que o American Idol já teve, impressionante.

Nossos jurados escolheram:
Top: James (3 votos), Haley (3 votos), Casey (2 votos), Scotty

Bottom: Lauren (3 votos), Jacob (3 votos), Scotty (2 votos), Casey