S13E16

American Idol XIII: S13E16 – Top 12 Performances

IdolTop12Nesta Quarta (05/03) às 22h na FOX dos Estados Unidos, tivemos as apresentações do TOP 12 do American Idol XIII, sob o comando do veterano Ryan Seacrest e com Keith Urban, Jennifer Lopez e Harry Connick Jr no painel de jurados desta edição.

O tema das performances desta semana no programa é “Home” (Lares), ou seja, canções que eram populares durante as suas infâncias ou mesmo uma homenagem a seu estado de origem. E durante e ao término das apresentações, os finalistas do programa serão julgados pelo público presente na platéia e em casa, que votam na internet e por telefone para deixarem seus favoritos no show. O resultado da votação será anunciado na noite desta Quinta (06/03), quando um dos participantes deixará a competição. Pra quem vai sua torcida?

Deixem suas opiniões e aproveitem para ver (e rever) os principais momentos do show nos players abaixo! Quem vai ser eliminado? Quem serão os finalistas? Quem será o novo American Idol? Venha acompanhar conosco toda jornada em busca de uma nova estrela, seguindo nossos perfis no Twitter (@AmericanIdolBR) e no Facebook (facebook.com/AmericanIdolBR). Lá, estaremos divulgando os links que transmitem o show, além de poder conversar com outros fãs do programa. THIS IS AMERICAN IDOL!!!

MELHORES MOMENTOS

Jena Irene – Suddenly I See (KT Tunstall)

Maira: Que triste ver Jena no death spot, espero que isso não a prejudique. Música bem mais apropriada para sua voz do que a que ela cantou semana passada, embora ainda não ache que ela tenha demonstrado todo o potencial,fez o bastante para uma apresentação satisfatória. Foi consistente vocalmente, mostrou presença e personalidade no palco. Não é uma apresentação pra morrer de amores, mas também não ha muito o que reclamar.
Laura: Posso reclamar do stanging? Toda semana tão tentando uma coisa completamente diferente com ela. Eu entendo que ela precisa encontrar o caminho, mas vamos seguir uma linha? Acho que essa apresentação não precisava de pedestal. E por mais que o vocal tenha sido bom, acho que foi bem genérica.
Rich: Jena que escolha foi essa? Ok, a música é boa, mas você não combinou nada com ela mesmo estando descontraída. Essa performance não mostrou muita coisa, foi correta e apagadinha, não é nada que anime as pessoas para votarem, ficou parecendo performance de Top 32, que ainda é aceitável.

Alex Preston – I Don’t Want to Be (Gavin DeGraw)

Maira: O Alex tende a sempre fazer alterações na melodia das músicas e acaba imprimindo outras naturalmente por causa do próprio timbre. Para mim, essa foi a escolha menos bem sucedida dele até agora, tendo alguns bons momentos durante a música e outros que não funcionaram tão bem (BOOM enquanto eu escrevo com JLo concordando comigo..rs). Minha conclusão é: querido, pode voltar pras músicas zzzzz mesmo, que são as únicas que provavelmente vão rolar pra você..rs.
Laura: Maíra acha que eu sou uma fã enrustida do Alex, mas cá estou eu irritada porque eu amei essa performance. Acho que o arranjo fez toda a diferença e achei ele até melhor no palco. To virando fã?
Rich: O que acontece quando um participante que você não gosta canta uma música de um cantor que você adora? Eu fico mais exigente, só que devo querer me bater por acabar gostando, achei a escolha certa, só não achei que o arranjo ficou bom, se tivesse feito como o original o resultado seria bem mais positivo. A cada semana estou aceitando que ele é bom, e vou acabar torcendo já que os outros estão dificultando torcida. Ou seja, minha torcida pelo Alex – se acontecer, será a maior twist dessa temporada HAHAHA

Jessica Meuse – White Flag (Dido)

Maira: Ela vem de uma apresentação maravilhosa, porém com uma trajetória um tanto quanto inconsistente. Fiquei feliz com a escolha da música, mas infelizmente, a execução não alcançou a mesma profundidade emocional que ela já se provou capaz. Para mim, realmente não funcionou, seu timbre dela soou mais anasalado que nunca e não ficou legal casou bem com a melodia, além de ter faltado a força na interpretação que a canção pedia.
Laura: Ai essa apresentação mostrou que ela não sabe muito bem quem quer ser no programa. Ela pode ser tão melhor que isso mas escolheu ser bland e genérica.
Rich: Foi fraco, foi ruim, foi completamente esquecível, o que é uma pena para a Jessica. Não ficou bom em nenhum momento, e olha que a música é muito boa, ficou parecendo que eu estava assistindo um cover caseiro ou uma apresentação em um barzinho. Não estranharia uma eliminação na Quinta.

Dexter Roberts – Lucky Man (Montgomery Gentry)

Maira: Já tenho preguiça só de olhar pra ele..rs, mas Deus meu… que apresentação mais sonolenta! Alguém me tira do coma pra terminar esse comentário, por favor! Ok… foi melhor que semana passada? Claro. Alguém que tenha consigo ficar acordado pode até dizer que foi emocional, mas continuo achando que ele é apenas um cantor mediano, genérico, sem presença de palco, sem star quality, sem nem ao menos beleza pra disfarçar o que falta, então não.tá.fácil.
Laura: Já que to no bar alguém me trás uma cerveja por favor. Nem sei o que essa pessoa está fazendo no Idol… MAS E ESSE BONÉ PRA MOSTRAR QUE CONTINUA UMA PESSOA NORMAL? QUEIMA.
Rich: Tá difícil hein? Sai de uma coisa parada morna, para outra do mesmo jeito, a diferença é que pelo menos o Dexter deu uma melhorada, o que não quer dizer muita coisa. ESSE PROGRAMA TÁ MUITO ACÚSTICO MINHA GENTE! American Idol, me ajude a te ajudar!

Emily Piriz – Let’s Get Loud (Jennifer Lopez)

Maira: Ai.meu.Deus. Usando latino card! Se decida pelamordi, mulher! Essa apresentação não podia soar ou parecer mais forçada de.forma.nenhuma. Vocalmente foi ótima, até porque comparada com JLO.. huahuahua, né, em compensação achei apenas razoável no quesito energia… apenas quero dizer que não comprei nada disso e só serviu pra provar que ela realmente não sabe quem é como artista. Próxima.
Laura: Gente essa apresentação só me deu esperanças que essa mulher pode fazer o que o programa ta precisando: quengar. VAI EMILY. VIRA RAINHA LATINA, VIRA POP, VIRA CÓPIA DE J.LO, é bem melhor que as músicas lentas bizarras que ela vinha escolhendo.
Rich: Sente o nível do programa quando você adora a Emily! Só em usar o card latino – que é apelativo, mas ao mesmo tempo deu uma animação na bagaça é super válido. O programa não precisa de TODOS os participantes cantando moda de viola, precisa de gente para agitar, alguém que não faça o público dormir antes da metade. Tô aqui pra dizer que quero que ela continue, já que é o que temos pra hoje.

Caleb Johnson – Working Man (Rush)

Maira: Por falar em gente forçada… NINGUÉM supera Caleb… o que foi ele se jogando no chão no final?! Vontade de bater na cara desse individuo! O lado positivo é que, pelo menos, ele dá conta do recado. Foi mais uma apresentação consistente com o que ele tem feito até agora.. ou seja, cheia de energia, com presença de palco e vocais fortes, mas ainda não vejo relevância ou originalidade nele como artista. Pra mim, Caleb ainda parece mais cosplay de rockeiro mais do que um futuro rockstar.
Laura: Sempre tenho a impressão que Caleb passa seus dias em frente ao espelho ensaiando como ser um rockstar. Não ta dando certo. Até gostei da música e da versão, é legal que quebra um pouco do resto. Não sei se to boazinha ou se senti menos cheio de naftalina vendo isso….
Rich: Outro que não aderiu ao violão e vem fazendo algo decente, mesmo achando que perderá a voz até o final da temporada. Caleb tem voz para escolhas ainda melhores, que explore muito dele mesmo, então tá na hora de aproveitar isso, já que os amiguinhos de competição não estão dando conta do recado. OBS: Jogada no chão super forçada.

MK Nobilette – Drops of Jupiter (Train)

Maira: Essa semana capricharam ~só que ao contrário~ no figurino dela..rs. Música é linda e muito bem escolhida por dar possibilidade à MK de explorar o aspecto emocional que funcionou bem pra ela até aqui. Pessoalmente, ficou mais claro pra mim que o timbre dela realmente não é agradável aos meus ouvidos, quem gosta deve ter amado a apresentação..rs. De qualquer forma, essa apresentação me fez pensar que ela tem sido mais bem sucedida com o público pelo timbre em si do que pela capacidade de interpretação, a qual achei um bem fraca. Vindo de bottom e tudo, acho que ela precisava ter feito melhor.
Laura: Gente boné não é pra palco de programa. Parem. To constrangida com esse figurino. Ela continua sem saber muito bem o que fazer enquanto canta e pessoalmente não amei a música, mas considerando como estamos nessas performances, foi bom de ouvir.
Rich: Tá difícil que até o povo que não estava trazendo violão resolveu trazer, e logo a MK que precisa mostrar muito serviço já que esteve no Bottom. Ainda continua nervosa, precisando trabalhar nisso, ela tem um timbre tão bonito, precisa aprimorar as escolhas e tomar uma iniciativa e uma postura logo, não fazer algo só “bom”, precisa se destacar urgentemente, antes que seja tarde.

CJ Harris – Waiting On The World To Change (John Mayer)

Maira: Junto com Dexter, é outro que nem estaria no Top 13 se dependesse de mim. Dito isso, achei a apresentação bem melhor que a da semana passada. Ele parecia mais confortável e isso se refletiu na performance. Ainda acho que falta clareza ou personalidade ao timbre dele… ficando aquela coisa meio enrolada, no entanto, ele apresentou um diferencial hoje na questão da interpretação.
Laura: Olha até gostei mais, achei a escolha de música bem acertada, combinou com a voz dele. Não é nada muito interessante mas não é ofensivo.
Rich: Tá fazendo hora extra, o que dificulta é que tem tanta gente indo mal que o necessário seria uma eliminação em massa. Ele não faz nada de diferente do que outros boys estão monstrando, e não faz nada melhor que Alex e Sam por exemplo, então não tem validade nem importancia e relevância no programa.

Sam Woolf – Just One (Blind Pilot)

Maira: Ai Sam, não! Mais uma apresentação sonolenta. Queria que ele se voltasse pra um estilo mais folk, que fizesse algo inesperado, que diversificasse um pouco, qualquer coisa pra sair dessa blandness infinita, porque assim nem fofura segura.
Laura: Ele parece que faz a mesma performance toda semana, não tem muita versatilidade e nem personalidade na forma de cantar. É bem genérico, mas tão gracinha.
Rich: É difícil gostar de uma apresentação assim com outros participantes sendo ruins antes, diminui até as expectativas, já que vemos tudo em sequência e não podemos escolher a ordem de assistir. Sam fez algo legal? Fez, mas não passou disso também, foi bem calma, tranquila, como tudo que ele vem fazendo até agora. Bora escolher uma música animadinha, Sam?

Malaya Watson – Take Me To The King (Tamala Mann)

Maira: ALELUIA, DERAM JEITO NESSE CABELO, D’US É MAIS! Entendo que a situação pra ela não fosse confortável, considerando o desastre e o bottom da semana passada, então, o que ela fez?! Deu uma de Angie Miller feat capsula do tempo feat gospel diva! Mas ui… que começo dificil! Depois do refrão, teve alguns momentos ótimos, especialmente com a high note no final, mas estou começando a achar que talvez ela ainda esteja muito verde para o programa, especialmente vocalmente. Aguardo as cenas dos próximos capítulos…
Laura: Concordo com Maíra, a Malaya não tava pronta pro programa. Só fico pensando em como ela poderia ser melhor em alguns anos. Isso é claramente uma performance sem risco de volta de bottom. Sempre sinto que ela poderia fazer bem mais e isso me entristece.
Rich: Isso filha, apela para os céus, porque não está fácil pra ninguém! Se o programa criar vergonha na cara e voltar com versões em estúdio essa e a do Alex são algumas que ouviria mais vezes. Malaya foi BEM melhor que a semana passada, já que ser pior era impossível, e pelo nível da semana não merece eliminação nem bottom.

Ben Briley – Turning Home (David Nail)

Maira: Fiquei com pena dele sem ninguém da família lá..rs. Acho que foi uma boa escolha pra ele e funcionou melhor do que semana passada. E, embora eu tenha escutado umas desafinadas, no início da música, pela primeira vez percebi que ele tem um timbre de voz agradável. Com boas song choices, penso que pode até se tornar um participante aceitável, mas ainda não vejo futuro pós-show. No geral, foi aquela coisa… nem a melhor apresentação da noite, nem a pior.
Laura: Super queria saber se ele é careca. Deve ser. Só isso explica o boné colado na cabeça. Se eu tivesse só ouvindo ia até legal, mas ele não sabe mesmo se portar no palco sem violão ai fica dificil lidar. Mas eu gostei muito da song choice e do tom da voz dele.
Rich: Tá aí alguém que poderia cantar legal algo do Gavin DeGraw, e mesmo não fazendo uma apresentação maravilhosa já ganhou pontos não trazendo o violão assim. Fez uma performance bem feijão com arroz e deve conseguir se dar bem, esse refrão tem uma ótima melodia ajudou a ficar agradável e a querer versão em estúdio u.u

Majesty Rose – Fix You (Coldplay)

Maira: Tenho medo pela Majesty porque as expectativas sobre ela já são enormes e aí chega o momento em que todos esperavam, dela chegar arrasando corações com uma música super emocional depois de duas apresentações animadas, e ela me vem com Fix You. Eu amo a música, mas tava na cara que não ia dar certo. Dito e feito.. a versão ficou péssima! O arranjo não funcionou, começo foi fraco vocalmente, a segunda metade bem desafinada e completamente all over the place. Estou chateadíssima com quem escolheu essa música e mais chateada ainda com o desperdício da oportunidade. Obs.: Aplaudo originalidade, mas esse figurino não tá dando, gente.
Laura: Queria tanto que aposentassem essa música, ta no nível Adele de músicas batidas em reality shows. Ai achei isso ai uma decepção, da song choice a nota final. É triste porque sabemos que Majesty pode MUITO mais que isso.
Rich: Já deu de “Fix You” em reality shows, já podem aposentar a música, de nada. A semana não tá fácil quando até a Majesty resolve ser fraca, não foi sua melhor performance, era outra oportunidade de chegar arrasando e deixou passar. Sou só eu aqui que estou achando que o American Idol está DECEPCIONANDO a cada semana? Nem parece que teve um começo de temporada maravilhoso, credo!