S13E14

American Idol XIII: S13E14 – Top 13 Performances

IdolTop13Nesta Quarta (26/02) às 22h na FOX dos Estados Unidos, tivemos as apresentações do TOP 13 do American Idol XIII, sob o comando do veterano Ryan Seacrest e com Keith Urban, Jennifer Lopez e Harry Connick Jr no painel de jurados desta edição.

O tema das performances desta semana no programa é “This Is Me” (Este sou eu), que dá aos participantes a liberdade de escolherem uma música que melhor lhes apresentam ao público. E durante e ao término das apresentações, os finalistas do programa serão julgados pelo público presente na platéia e em casa, que votam na internet e por telefone para deixarem seus favoritos no show. O resultado da votação será anunciado na noite desta Quinta (27/02), quando um dos participantes deixará a competição. Pra quem vai sua torcida?

Deixem suas opiniões e aproveitem para ver (e rever) os principais momentos do show nos players abaixo! Quem vai ser eliminado? Quem serão os finalistas? Quem será o novo American Idol? Venha acompanhar conosco toda jornada em busca de uma nova estrela, seguindo nossos perfis no Twitter (@AmericanIdolBR) e no Facebook (facebook.com/AmericanIdolBR). Lá, estaremos divulgando os links que transmitem o show, além de poder conversar com outros fãs do programa. THIS IS AMERICAN IDOL!!!

MELHORES MOMENTOS

Dexter Roberts – Aw Naw (Chris Young)

Tiagão: Você olha pro Dexter e percebe que no mercado country existem milhares iguais a ele. Para ter um pouco de destaque é preciso ter um diferencial e isso ele não tem. Gostei da escolha da música, ele foi correto. Mas a apresentação em si não teve nenhum grande momento. A tia ali na platéia cm penteado de Mico Leão chamou mais atenção do que ele
Maira: Achei a apresentação dele bem arroz-com-feijão..rs. Foi ok, a song choice bem legal, mas não consigo deixar de pensar que provavelmente devem haver uns 10 mil cantores em Nashville que fazem exatamente a mesma coisa e até melhor. BTW, gostaria de dizer que até agora estou gostando bastante das reformulações no formato do programa (bem mais interessantes que essa apresentação -q).
Laura: Não sei o que essa pessoa ta fazendo ai. Todo o respeito -sqn, mas ele não é uma estrela perdida esperando o sucesso. Ele é um cantor de bar. Não entendi quase nada que ele cantava e achei isso um saco. Mas já que deve ficar, ajuda ai meu filho, melhore nessas escolhas e tente ser interessante.
Rich: Apresentação bem bleh, o Dexter não soube aproveitar muito bem o palco, não tava me passando a impressão de que era um artista cantando, ele tem muito o que melhorar, a plateia mesmo estava meio nem se importando, eu mesmo tava com a cara igual ao dos familiares ali que tavam com cara de “wtf”.

Malaya Watson – Runaway Baby (Bruno Mars)

Tiagão: O que mais gostei na apresentação foi que ela saiu daquela linha velharia e veio para algo mais atual. A escolha em si não foi interessante para a voz dela. E essa de vai pra esquerda, vai pra direita, volta pra esquerda, volta pra direita acabou atrapalhando a respiração e a dicção de Malaião. Foi válida a tentativa de deixar a garota mais moderninha, mas vamos pegar uma música melhor na próxima vez
Maira: A Malaya é incrivelmente carismática e isso transparece de forma ainda mais clara com o novo formato do programa. Achei legal o fato dela ter cantado uma música contemporânea essa semana, embora não tenha sido a escolha correta, mas acho importante mostrar versatilidade. Nos quesitos energia e presença de palco, ela entregou, porém acredito que os candidatos não estivessem escutando bem a banda, porque achei que o tom estava meio off, assim como no caso do Dexter.
Laura: Eu não entendi nada. Isso foi uma tentativa de deixar Malaya current? Eu adoro a voz dela mas nada ai funcionou pra mim… Não explorou o vocal dela e a roupa tava ridicula. Isso foi uma hot mess. Existem formas dela ser atual e ainda assim parecer mais ela.
Rich: Meu Deus que bagunça foi essa? Quase não consegui assistir a apresentação toda e olha que eu adoro a Mayala oO, ficou confuso, estranho e não teva nada de bom, principalmente porque esteve cantando com um ovo na boca. Ela não precisa fazer escolhas desnecessárias assim, prefiro que vire datada a fazer coisas assim, um lixo.

Kristen O’Connor – Beautiful Disaster (Kelly Clarkson)

Tiagão: Tá certo que ela não chegou nem perto do que a Kelly pode fazer em qualquer música do repertório, que ela ainda não mostrou ter personalidade musical, que era uma desconhecida até a fase anterior e por ai vai. Mas eu acabei curtindo essa apresentação. Foi uma boa escolha de música, teve uma boa interpretação, soube levar a música da sua maneira.
Maira: A menina que, pra começar, não devia nem estar aí! Vai ficar nas baladinhas românticas até alguém te chutar, né, gorgeous?! Achei levemente melhor do que a apresentação anterior, mas gnt.. essa menina deve ter algum desejo suicida, pq Adele em uma semana e KC na outra?!Tsc. Penso que ela, mais uma vez, ficou devendo muito na interpretação. Alguns momentos foram realmente incômodos, como se não estivesse realmente entendendo o que cantava. Pessoalmente, gostei mais do colar de anéis do que da apresentação.. huahua
Laura: Sinto que fiz algo errado para ter que aturar essa mulher no top 13. Não sei muito bem que plot ela quer no programa, nem que tipo de artista quer ser. Isso foi completamente chato, sem graça e meio show de calouros da escola. Pode sair pfvr.
Rich: Ainda quero entender o porque da Kristen aí nos lives, mas como ela já está, estou aceitando porque dói menos. No começo a apresentação foi bem legal, depois ela não conseguiu dar conta e colocar a força necessária, ficou devendo nisso já que pelo menos em câmera ela fica bem, tem que aproveitar esses fatores com escolhas melhores, se tiver a oportunidade, já que tá bem apagada e sem se destacar acaba sendo “mais uma que deu sorte em votação”.

Ben Briley – Folsom Prison Blues (Johnny Cash)

Tiagão: O que falta no Dexter, sobra no Ben: carisma, voz e presença de placo. Apresentação gostosa, música muito bem escolhida. Da ala masculina ele é um dos candidatos mais interessantes e com mais possibilidades de fazer alguma coisa marcante nessa temporada. Começou muito bem no top 13.
Maira: Acho ele bem simpático, mas fico na mesma dúvida que tenho em relação ao Dexter, se possuem diferenciais suficientes ou star quality. Para mim, essa versão de Folsom Prison não soou forte, nem original o bastante. Gostaria de ouvi-lo cantar outra música, porque nesse live não mostrou a que veio.
Laura: SÓ QUERO QUEIMAR ESSE BONÉ!!! Ele é careca? Acho que ele até tentou ser um pouco diferente, mas nada disso ai me atrai. Só consegui lembrar de Joaquin Phoenix em Walk the Line cantando a mesma música.
Rich: Deu uma boa melhorada com relação a semana passada, não foi tão maravilhoso assim só que deu para o gasto, já que quem veio antes dele não teve nada de bom, pode ser que dure bastante. Só que como é os EUA por ter ido bem pode acabar rodando bonito.

CJ Harris – Radio (Darius Rucker)

Tiagão: Espera, cade o chapéu, a camisa quadriculada e calça batendo no pescoço? CADÊ CHICO BENTO? A apresentação em sim foi bem qualquer coisa de barzinho. Parece que ele fica perdido no palco, sem saber pra onde ir e o que fazer. Tem uma boa voz e eu gostei da escolha de música, mas o candidato em si não tem nada de interessante e até cantando uma música mais animada deixa tudo sonolento.
Maira: Confesso que morro de preguiça do CJ. Esperava algo bem mais entediante dele, mas calma, não quer dizer que foi bom. Achei que seguiu uma linha genérica, não diferente dos candidatos anteriores. Bem qualquer coisa. Ah… sdds Jimmy Irvine com comentários relevantes!rs (~ viva comentários aleatórios).
Laura: Olha to ainda sem entender como esses jurados conseguiram estragar uma temporada com tantos candidatos legais com esse povo tão sem graça. Eu sei que queriam voltar as guitarras, mas carisma é o mínimo. Isso ai foi bem qualquer coisa, não tentou ser diferente nem especial, foi só mais do mesmo e mais do bar. Mas o vocal foi melhor que Dexter então ponto pra você.
Rich: Até agora tô com a sensação de que vi três apresentações “iguais” desses homens só que com timbres diferentes. Tão bem parecidos um pouco e isso fica “chatinho” para o conjunto da obra dos lives. CJ não é muito bom, é bem fraco, irrelevante na competição e sinceramente tenho uma preguiça ENORME dele.

MK Nobilette – Satisfaction (Allen Stone)

Tiagão: Se ela aprender a controlar o nervosismo e esse aparente medo que ela deixa transparecer em cada apresentação, poderá render muito mais nessa fase de lives. Gosto muito do timbre de voz dela e essa escolha de música foi acertada. Foi leve, mostrou sua voz e só precisa melhorar sua presença no palco. No final essa certa fragilidade que ela demonstra acaba sendo até positivo pra ela.
Maira: Primeira vez que ela não cantou uma balada.. aeeeee! Estava esperando por esse momento..rs, incrível como ainda assim consegue fazer cara de sofrimento..haha. Precisa melhorar muito a presença de palco, mas para ser justa, foi a primeira boa apresentação da noite. Não vai ser uma para relembrar, mas foi um bom começo.
Laura: Vamos proibir bonés nesse palco? Mas olha, estou aqui meio apaixonada por essa song choice. Achei super criativa e ótima comparando com a última apresentação dela. Ela claramente tem problemas em se conectar com a audiência e usar o palco, mas isso foi tão bom de ouvir. Eu tive que colocar no repeat logo depois pra ficar curtindo sem assistir.
Rich: Ah, gostei da da MK, não foi nada grandioso, mas dentre a semana ela foi bem, tem um timbre legal, mesmo o nervosismo ainda não estando controlado e tem como fazer apresentações decentes para o programa. Uma versão em estúdo mesmo dessa apresentação tem tudo para ficar boa :)

Majesty Rose – Tightrope (Janelle Monae)

Tiagão: Não foi o melhor vocal dela, mas a postura, a maneira como ela leva a música, que interage com público foram perfeitos. Acho que todos os demais participantes deveriam fazer um cursinho com ela nesses quesitos. E de longe, muito longe a candidata mais artista dessa edição. É sempre agradável ver uma apresentação da Majestade e dessa vez não foi diferente.
Maira: OMG! Majesty é tão adorável! Acho interessante que ela esteja seguindo um caminho diferente do que muitos podiam esperar, apenas com apresentações acústicas e lentinhas. Segunda semana de uptempo, dessa vez sem violão e, ainda assim, ela consegue manter a originalidade, mostrando mais uma vez sua enorme presença de palco, além de vocais excelentes. Só não curti o figurino, but you go girl!
Laura: RAINHA DO IDOL. É a segunda semana de lives e eu já estou me doendo sabendo que ela deve perder para um genérico com guitarra qualquer. Ela já ta em outro nível e ainda me aparece cantando Janelle? Ta ajoelhando por meu amor. Não precisa Majesty, você já tem. Foi cool, current, divertido, fácil. Ela tem muita presença, sabe se portar e quem é como artista. Já quero o cd.
Rich: Sintam só a diferença da Majesty para os outros, é enorme! Ela não se prendeu em escolhas mais óbvias e simples, foi logo mostrar serviço e ainda sem precisar do violão, mostrando presença de palco e uma boa atitude.

Jena Irene – The Scientist (Coldplay)

Tiagão: Jenão é o timbre feminino que mais gosto nessa temporada. Os agudos dela são muito bonitos, limpos e fortes. Mas essa música acabou não favorecendo tanto. O arranjo que fizeram pra ela acabou prejudicando sua apresentação. É a aquela música que não combina com um arranjo mais acelerado. Talvez o fato dela ter vindo com o piano na semana passada possa ter interferido na modelagem do arranjo dessa semana. Sei que ela pode mais.
Maira: Percebo que a Jena está tentando encontrar um ponto de equilíbrio entre algumas de suas melhores apresentações, que foram baladas, e essa energia direcionada ao rock que ela possui. Em ‘The Scientist’ achei que faltou uma introdução no arranjo e, embora alguns momentos tenham sido bons para mostrar seu timbre, nas partes altas, o ataque em sua voz acabou não combinando com a música, que merece uma abordagem mais suave. Ainda assim, acredito no seu potencial, só precisa acertar nas song choices.
Laura: Fiquei pensando que isso era uma oportunidade pra ela se dar muito bem performando no piano, mas ai parei porque isso é claramente maldição de Angie na minha vida. Eu adoro a Jena, adoro a voz dela, mas não acho que essa tenha sido uma escolha musical muito boa… Não sei se foi o arranjo, mas faltou alguma coisa pra encaixar com ela e a voz. Mas ainda assim, foi uma boa performance, ainda mais comparando com as anteriores.
Rich: Gostei, tiveram boas partes nessa apresentação, foi bem correta, soube cantar direitinho, só não soube deixar aquela emoção passar de maneira mais forte. Acho que fez o requisito para mais uma semana pelo menos, não sei até quando ser “boa para a semana” pode ser bom para ela, mas…

Alex Preston – A Beautiful Mess (Jason Mraz)

Tiagão: MAIS UM COM VIOLÃO!!!!!!!!! Bom, será que estamos diante do favorito dessa edição? Ótima escolha de música, ótimo arranjo, ótimos vocais. Demonstrou muita segurança durante toda a apresentação. O áudio em estúdio deve ter ficado ótimo. Torço para que ele não caia na mesmice de sempre fazer a mesma coisa toda semana.
Maira: Não sou do fã clube do Alex, mas nesses dois lives ele tem realmente me vencido. As escolhas que ele faz são inteligentes e não só confere roupagens interessantes às músicas, como realmente interpreta com propriedade. Não é de se estranhar porque muitos o vêem como front-runner da competição.
Laura: Tenho aquela bela implicância gratuita pela cara de bunda que ele sempre faz, mas amei essa performance. Acho que a escolha de música foi perfeita e ele cantou do jeito certo, apostou no que ele é mais forte musicalmente. Teve muito sentimento. Mas gente ele precisa muito parecer mais interessado no que faz, essa cara pedante não é pro Idol.
Rich: Mas já cantando Jason Mraz tão cedo? Sabe o que me revolta? Um candidato que eu destesto gratuitamente indo bem HAHAHA Não tenho muito o que reclamar do Alex, ele vem seguindo direitinho o “Manual do WGWG” e com os outros não rendendo bem fica ainda mais fácil para vencer. Quero estúdio dela, por incrível que pareça.

Jessica Meuse – The Crow And The Butterfly (Shinedown)

Tiagão: Essas apresentações curtas demais não estão legais, heimmm produção. Fica até difícil analisar o candidato dessa maneira. Nessa aqui eu fiquei com gosto de quero mais. Jessicão mandou muito bem na escolha da música. Casou certinho com sua voz e gostei muito também das projeções do telão. A apresentação dela na rodada anterior foi bem qualquer coisa, mas nessa aqui ela mandou bem.
Maira: Escolha e apresentação BEM MELHORES do que semana passada! Se a Jessica souber usar a versatilidade de que é capaz, e apostar em um estilo para além de country music, se tornará uma candidata bem mais interessante. Aqui ela encontrou uma combinação perfeita entre song choice, vocais e interpretação. Pessoalmente, foi minha apresentação favorita da noite.
Laura: To meio apaixonada por essa performance. Essa song choice é perfeita pra voz dela e me fez repetir na mesma hora só pra ficar ouvindo. Pena que ela parece um pouco tensa e não se jogou na apresentação, mas valeu pela escolha mais ousada.
Rich: Agora sim hein Jessica? Muito melhor essa semana, precisa melhorar só na postura, não ficar com esse olhar perdido e nem olhar para baixo enquanto canta (fez isso no começo). Demonstrou uma rápida evolução e espero que tenha a oportunidade de melhorar mais, foi uma das melhores da noite.

Emily Piriz – Glitter in the Air (Pink)

Tiagão: Cantou fazendo cara de paisagem? Já pode ser eliminada! Não foi o desastre que eu estava esperando, ela foi até certo ponto correta. Da pra perceber, principalmente nas partes que ela foi para os agudos, que tem uma boa voz. Mas ela canta por cantar e acaba não passando o que música pede. Não foi ruim, mas também não foi nada marcante.
Maira: Se a Emily conseguisse mostrar alguma personalidade e se diferenciar, poderia se tornar uma candidata interessante, porque ela tem a seu favor o belo timbre e a própria beleza, o que fizeram dessa apresentação aceitável, mesmo com uma interpretação não tão profunda quanto a música pedia, teve coisa pior na noite.
Laura: Ai que preguiça dessa apresentação, dessa música, dessa mulher no top 13. Ela pode até ter uma voz boa, mas não é uma artista. Espero que ela faça escolhas mais ousadas e tente buscar uma identidade interessante.
Rich: Foi melhor do que alguns aí e isso já é uma surpresa boa para ela, até pelo fato da Malaya não ter ido bem já a deixa em posição confortável comigo Hahaha. Não entendi muito a escolha, poderia ter cantado outra música, mas para a noite e comparando com as apresentações já vistas, pode ficar, tem grandes chances de que chegue semana que vem e eu falando ‘como a deixaram?’ mas quero correr o risco haha.

Sam Woolf – Unwell (Matchbox 20)

Tiagão: ZzZzZzZzZzZzZzZz Acho que essa música vai ficar interessante na versão estúdio, mas no palco deu sono. Foram 1:57 que pareceram 2 horas de show. Dos violeiros dessa edição ele é o mais fraco, mas o que tem o visual mais comercial. Já entenderam onde isso pode acabar né. VEJAM ALI A LAURA CHAMANDO ELE DE FOFO E GRACINHA (Hebe Camargo) kkkkkkkk
Maira: Sam é fofo e já shippei com Malaya só pelos 10seg de VT /soudessas. Eu gosto dele, acho carismático e até talentoso, o problema é que corre o risco de se tornar muito previsível e, claro, tem o fator genérico (que ele é mesmo..rs). Além do mais, compete diretamente com Alex, o que não é nem um pouco bom pra ele. Fez uma apresentação razoável, mas ainda não vi um lado diferente (~parafraseando a música).
Laura: A gente chega nesse ponto e já ta tão cansada de ver guitarra… mas não da pra negar a fofura de Sam. Ele é absolutamente genérico, mas é tão gracinha. Entendo as meninas que votam hahah Mas gente, isso foi tão sem graça! Ele vai precisar tentar algo diferente musicalmente, fazer escolhas ousadas e tentar evoluir. Senão vai ser sempre super chato de ver… fofinho, mas que dá sono.
Rich: Gostei da escolha musical, o que não gostei foi em como a apresentação foi se transformando, tem o Alex aí sendo melhor e, no meu pensamento, sendo super favorito, então tem que batalhar e mostrar mais que essa dose calma de performances que vem fazendo. Todos os homens até agora cantaram com violão, isso cansa um pouco, me cansou e se eles dividirem os votos ou um só pegar todos, os outros estão ferradinhos.

Caleb Johnson – Pressure and Time (Rival Sons)

Tiagão: Antes de falar do Caleb, gostaria de dizer que gostei muito da banda e do formato do palco. Sem contar que as projeções no telão ficaram ótimas em praticamente todas as apresentações. Caleb cheira naftalina, mas é um monstro no palco e possui um ótimo vocal. Sem contar que gosto muito desse jeito descontraído dele. É o candidato que serve para entreter e não para vencer o programa.
Maira: Acho que o Caleb apela para um humor bem forçado, o que me causa uma certa antipatia, além do fato de não vê-lo sendo em nada current (roubando a expressão da Laura..rs), acho que alguém já comentou que ele se encaixaria melhor numa banda e é exatamente o que sinto assistindo suas apresentações. No mais, o que dizer? O cara canta muito. tem presença de palco e um estilo claro e consistente.
Laura: Na minha cabeça eu sei que ele tem uma voz boa e essa escolha foi até legal, mas só consigo rolar meus olhos porque não sei como ele consegue ser tão datado. Olho pra ele e sinto cheiro de naftalina ou cover bands.
Rich: Sabe aquele seu amigo que quer ser o bem engraçadão e não consegue? Pronto, é o Caleb! Mas como não tô aqui para ser amigo dele, posso focar só na apresentação então ;) Volto a focar que para seu estilo está ótimo, até por não cantar com violão e ter uma presença melhor, é o candidato que não vai deixar o show ficar boring com tanta moda de viola presente, então sabemos que é um “mal necessário” por hora. Boa performance, bons vocais, encerrou bem a noite, só que fiquei com pena do American Idol, que começou bem a temporada e temos um live muito fraco, mesmo.