[SPOILER] American Idol: S10E16 – TOP 13 Performances

E chegam as finais! Vamos acompanhar que escolhas foram feitas pelo nosso Top 13 e suas apresentações, na semana em que a temática é Ídolos que admiro, onde os participantes pegam músicas de seus cantores favoritos e fazem suas versões.

Confiram conosco suas escolhas, vídeos, links e as opiniões de nossos jurados sobre as apresentações. Além de nosso residente, hoje temos o retorno de outra jurada que estava de férias e voltou com seus comentários que muitos amam e muitos odeiam, Silvia. Além desses dois conhecidos, nos acompanha hoje João, estudante de jornalismo que trabalha na área de música, ex integrante do portal Popline e atualmente colaborador do QueDeliciaNeGente, e assistiu as temporadas 7 e 9. E é claro, nosso comentarista de sempre, você! Comente conosco também nos comentários!

Lauren Alaina – Any Man of Mine (Shania Twain)

[media id=986 width=630 height=380]

Felipe: Esse pessoal tá gostando de abrir show com música que já cantaram antes, né? E a Siobhan deu de 10 a 0 na Lauren. Embora a Lauren seja uma ótima cantora e tenha um alcance bom, ela cagou legal, mesmo eu achando que ela tem um pézinho no country. Sorte dela que tem fanbase, porque vai precisar.

João: Adorei a escolha da música. Acredito que Shania é ídolo de todo e qualquer artista com pelo menos um dedo mindinho no Country e esse parecer ser realmente o caminho certo para a Lauren. Ela tem uma voz potente, bonita e cantou muito bem! Só achei que foi engolida pelo palco. Faltou brilhar. Mas nos geral, foi ótima.

Silvia: Hum. Estou confusa no que acho. Adoro a Lauren, a voz, a presença de palco etc. Não sei se gosto dela no country, apesar dela ficar muito bem no estilo. O que achei mesmo é que essa música não a favoreceu, ela não pode mostrar tudo o que consegue fazer. Foi uma música legal, bem cantada, e ela é toda lindinha e fofa. Não me empolgou como de costume. Uma pena.

Casey Abrams – With A Little Help From My Friends (Joe Cocker)

[media id=987 width=630 height=380]

Felipe: Gosto muito do Casey, mas sinceramente, prefiro ele cantando mais baladinhas do que nessa vibe de música que precisa gritar muito. Mesmo assim, conseguiu me conquistar, ele é um dos únicos participantes que tá conseguindo ser totalmente consistente e bom toda semana, e por ser tão diferente assim, se torna cada vez mais interessante. Fácilmente estará na semana que vem.

João: Escolher uma música dos Beatles, numa semana que não é temática deles é arriscar muito! Ele começou a apresentação sentado, trouxe reforço vocal, entrou no espírito da música e fez uma ótima performance. O bom do Casey é não ter medo de colocar personalidade na música e isso é o que felizmente nos garante vê-lo cantar próxima semana.

Silvia: Ah! Fala sério! O que esse cara está fazendo aí? Não dá… espera aí… Não dá pra assistir uma vez só! haha Esse cara é incrível, incrível! Nem me sinto no direito de julgar. Escolheu uma música perfeita, toda a apresentação foi demais. Excelente! A J.Lo tem razão, Casey é sexy! haha Amei! Posso ver de novo? =)

Ashton Jones – When You Tell Me That You Love Me (Diana Ross)

[media id=988 width=630 height=380]

Felipe: Eu sempre adorei a Ashton, e depois dessa apresentação super diva e bem cantada, bem vinda as minhas favoritas de volta! Música bonita, apresentação bem feita e com boa performance, além de estar muito bonita. Espero que ganhe a fanbase que não teve semana passada ao não estar no Top 10, prevejo uma segunda Syesha.

João: Ashton tem voz e porte de diva, mas não consigo vê-la como uma. Ela parece não ter total confiança em si e em seu potencial e isso reflete no palco. Desafinou um pouco no começo, alcançou bem as notas em alguns outros instantes, mas nada que tenha me impressionado.

Silvia: Lembrei do Sheldon, de Big Bang Theory dizendo repetidamente “Eu sou o mestre da minha bexiga”. Por que? Quando você diz algo repetidamente, ou dizem pra você, você acaba acreditando. Ashton acreditou que é a Diana Ross. Exceto o cabelo… não é. Gosto dela, da voz, acho que ela tem potência, mas foi uma música muito blah. Pra mim, mesmo caso da Lauren, não mostrou o que pode. Mediano.

Paul McDonald – Come Pick Me Up (Ryan Adams)

[media id=989 width=630 height=380]

Felipe: Até gosto do McFish e da voz dele, mas ele desafinou legal nessa, principalmente no início da música. A voz dele funciona pra alguns tipos de música, mas nessa não me convenceu, pareceu abertura de rodeio de terceira. Ainda acho que Brett deveria estar no lugar dele, e isso só reforça isso.

João: Não gostei do Paul hoje. Ou melhor, não gostei da canção na voz dele, mas ele tem muito potencial, personalidade e um timbre único e maravilhoso. Deixei pro fim: O que foi aquela dancinha (pode chamar assim?) pelo palco?

Silvia: Aipo, quero um McFish, por favor. Faz delivery em SP? hahaha… Eu estou procurando palavras para descrevê-lo. Paul é o caso de um cara tão singular, peculiar e talentoso que não tem antecedentes no Idol. (Se alguém mencionar um certo aí, descubro onde você mora…Google Maps ajuda…hahaha). Adorei a apresentação, a dancinha é muito estranha mas é muito ele, e a música caiu como uma luva pro timbre dele. Eu o acho super interessante, exatamente pelo fato de não ter um vozeirão, alcançar nota agudissimas, etc. Muito bom. Go, Paul!

Pia Toscano – All By Myself (Celine Dion)

[media id=990 width=630 height=380]

Felipe: Pia conseguiu de novo! Essa safada tava escondendo da gente que sabia cantar assim a Hollywood e Vegas week inteira, aí vem e faz duas apresentação dessas? Que alcance é esse? Que voz é essa? Pegou uma música perigosíssima e simplesmente arrazou. Não foi muito original, sim, mas foi lindo.

João: Achei o começo bem karaokê, mas ela foi ganhando a música e até que ficou um resultado interessante. Não sei se foi a melhor escolha de música e confesso que esperava mais depois das últimas três apresentações. Brilhou? Sim! Mas ficou na margem de segurança.

Silvia: O que era aquela cauda/rabo? Desnecessário, Pia, querida. hehe
Fatos: Ela canta muito, e muito bem. Ela com músicas lentas e meio divas, é ótima. Ela só fica parada no centro do palco.
Gostei, claro, ótima interpretação, mas acho que ela só está na zona de conforto. Quero ver pegar uma música com andamento mais rápido e colocar sua marca, e se movimentar no palco. Não é pra correr, dançar, apenas não ser estátua. Desafio da Pia é não ser igual toda semana. Mas foi bom.

James Durbin – Maybe I’m Amazed (Paul McCartney)

[media id=991 width=630 height=380]

Felipe: Sinceramente, não gostava muito do James até hoje. Achava as apresentações gritadas demais e sem sentimento. Mas hoje foi diferente, totalmente bem controlada, bem cantada e sinceramente, quem vier agora comparar ele a Adam Lambert, pelo amor de deus, vá ver que o James dá um BANHO nele. Ganhou mais um fã.

João: Começou a música muito mal, porém se manteve apenas ok durante o resto da canção. Foi uma boa escolha de música para a voz dele, aliás. Não abusou tanto das notas altas (que pra falar a verdade me irritam quando usadas constantemente), e isso foi um ponto positivo pra mim. Faltou presença de palco e faltou personalidade.

Silvia: ADORO essa música! =) Já criei simpatia pelo James, não sei, ele é tão fofo! haha E admito que ele me lembra um pouquinho o Adam, mas ele está conseguindo se diferenciar como artista sim. Ah vá! Adorei como ele finalizou. Muito, muito bom. O controle das notas agudas… tô gostando de ver hein! hehehe Nota Pessoal (claro): Até agora, achei que só os homens trouxeram algo diferente.

Haley Reinhart – Blue (LeAnn Rimes)

[media id=992 width=630 height=380]

Felipe: Haleão!!! Muito bom de novo!! Na verdade depois de hoje ela passou de leão pra lobinho com os uivos de ‘blue’. A voz dela é tão diferente, mas em um jeito tão legal, que eu fico sempre feliz de ouvir, é uma coisa tão nova que me faz ficar contente que esse ano tem tudo pra que o American Idol seja o mais único de todos!

João: Antes de começar eu estava tipo “Respira e vamos lá. São só dois minutos”, mas ta aí, Haley me conquistou. Não é segredo para quem me conhece que não gosto do timbre dela: acho rasgado, sofrido e feio. “Blue” foi perfeita para ela, que mostrou maturidade musical ao empostar e impor a voz muito bem. Foi gostoso de ver e ouvir.

Silvia: Rei Leão é interessante! haha Apesar de achar que ela exagerou um pouco nas firulas, é o diferencial dela, e ficou bem legal. Não tenho muito o que dizer dela, ainda estou me acostumando, mas gosto dessa diversidade de artistas BONS esse ano.

Jacob Lusk – I Believe I Can Fly (R Kelly)

[media id=993 width=630 height=380]

Felipe: Olha, eu sempre gostei muito do Jacob, e ele até cantou bem, mas tiveram umas mudanças na música que ele fez que pra mim ficaram estranhas demais. Teve uma hora que ele parecia um macaco berrando, embora estivesse afinado, como sempre. Como, a JLo, eu acho que é muito difícil de julgar ele, porque ele acertou todas as notas, mas umas coisas ficaram bem estranhas. Acho que ele tinha que ter feito essa música muito mais low key que isso. Foi médio, no final das contas.

João: Que ele canta muito ninguém pode negar, mas o que em minha opinião falta ao Jacob é não se entregar tanto. Ou seria o que sobra? Ele termina esgotado! Tem quem veja isso como positivo e não vou negar que o resultado é belíssimo, mas queria vê-lo interagindo mais com a platéia e se entregando mais ao público.

Silvia: Muita, muita covardia! Não dá pra ver uma vez só, não tem como achar esse cara ruim. Tem? Alguém consegue? Aceito criticas de quem entenda de música e me dê motivos técnicos :) hehehe Essa música é linda, maravilhosa, e ele fez jus perfeitamente. Incrivel!

Thia Megia – Smile (Michael Jackson)

[media id=994 width=630 height=380]

Felipe: Ok, vamos ter que julgar ignorando o fato que ela não sabe quem é Chaplin. Gostei bastante da apresentação, mas mais da primeira parte, ela tinha tudo pra arrazar com o take jazz que ela fez no meio, mas devia ter colocado uma coisa mais upbeat, podia ter ficado fenomenal. Só que ela tem que parar com as baladas, senão vai cair na mesmice e as pessoas vão esquecer. Mas sorte pra ela porque gosto demais da voz dela!

João: Se a intenção da música é te fazer sorrir, Thia conseguiu comigo. Ela é a prova que o talento não escolhe idade e nem tamanho. Uma bela música, com uma melodia linda, mas um arranjo que não privilegiou sua voz, pois foi quando ela desafinou aqui ou ali… Mas o inicio foi espetacular! E é impressionante como ela ocupa o palco mesmo sem se movimentar tanto. Adorei!

Silvia: Acho a voz dela incrivel. 15 anos? É muito adulta. Mas… Porém… A música é linda, ela fez uma mudancinha ali e tal, mas não foi nada “Uau! Olha que voz, que versão.” Como diria o Randy, “it was just okay”. Agradável, afinado, bem cantado.

Stefano Langone – Lately (Stevie Wonder)

[media id=995 width=630 height=380]

Felipe: Eu SEMPRE falei que o Stefano era alguém pra se ver, e hoje ele mostrou o porque disso! Apresentação muito boa, cantou como nunca cantou antes, fez uma versão super legal de uma música batida e ainda tem o Stevie Wonder como ídolo. Ok, já estou torcendo pra alguém de verdade esse ano!

João: Gostei muito do arranjo e das batidas. Embora ele tenha colocado muita personalidade ali, boa parte da apresentação se resumiu a uma mistura de grito e desafinação. Divertido de ver e até gostoso de ouvir, mas não sei, achei perigoso.

Silvia: Gosto desse menino! A ultima audição dele foi linda, quando ele cantou uma música dele, no WildCard me apaixonei, perdi as contas das vezes que vi e ouvi… Hoje, dou pontos por ter cantado uma música agitadinha, uptempo, e ao mesmo tempo conseguiu mostrar os vocais. Ele é um dos melhores vocalmente? Talvez não, mas ele tem alguma coisa extra. Tentando descobrir… Nada grandioso, mas gostei.

Karen Rodriguez – I Could Fall In Love (Selena)

[media id=996 width=630 height=380]

Felipe: Ah, agora sim, ela tá doente. Porque ela foi super mediana, embora eu saiba que ela tem uma voz muito boa, um controle muito bom, mas foi totalmente bland. Não vou me lembrar dela no fim da noite, a não ser pra dizer quem foi meu bottom 3. Pena pra ela, porque é muito boa cantora.

João: Ela foi totalmente engolida pela canção. Péssima escolha, não alcançou as notas e fez uma das apresentações mais fracas e chatas que eu já vi. É isso.

Silvia: Tenho que ouvi-la mesmo? Ai. Ok. Oficialmente achei a pessoa que não gosto de todos. Ela canta bem, mas é a mais comum de toda essa galera diversificada. Não sei se ela quer ser a J.Lo ou a Selena. Vai cantar a trilha toda do filme? Chega, né? Adiós, muchacha. Não curti. (Cadê um botão de “não curtir”?)

Scotty McCreery – The River (Garth Brooks)

[media id=997 width=630 height=380]

Felipe: O Mad (apelido que tem gente adaptando sem as devidas referências) fez uma boa versão da música, mas não ficou muito diferencial, foi totalmente bland em relação a noite maravilhosa que a gente tá tendo. A voz dele é super legal, mas foi mais do mesmo. Ele tem que fazer uma coisa mais diferente, senão vai cair no esquecimento. Sorte dele que americano adora um country, então não tem perigo.

João: O que me encanta no Scotty é que ele tem apenas 17 anos e sabe o que ta fazendo e aonde quer chegar. Escolheu uma música linda, que confirma que ele é cantor Country e que a música sai do seu coração. Definitivamente não foi a melhor apresentação dele, desafinou nas notas mais altas, mas foi válida pelo que a Jennifer falou: pudemos vê-lo se entregando mais ao público, interagindo.

Silvia: Eu quero não gostar dele. hahaha Mas pior que o garoto canta bem. Se ele merece chegar na final e até ganhar? hum, não. Tem pessoas muito melhores, Casey, por exemplo. Mas ele merece ficar um tempo e sair daí pra sua grande carreira country. Gostei da música, e ele cantou bonitinho. Mina de ouro do interior! hehe

Naima Adedapo – Umbrella (Rihanna)

[media id=998 width=630 height=380]

Felipe: Adoro a Naima como artista, mas a apresentação que ela tentou fazer foi absurdamente excelente. Só faltou foi o vocal acompanhar o que ela conseguiu passar como performance no palco, se tivesse feito isso, ia ter sido a melhor da noite. Mas sem a voz, num programa como o American Idol, não dá pra ir muito longe. Mas totalmente creditado pela tentativa de fazer uma coisa totalmente diferente, principalmente com o reggae no meio.

João: Bem, não sei bem por onde começo. Incluiu uma dança estranha e uma coisa meio Rei Leão, mas mostrou quem é a Naima e o que está fazendo ali, por outro lado, não mudou muito do arranjo e desafinou grande parte da música. Não foi boa, nem ruim.

Silvia: Interessante. Quando vi a música, fiquei curiosa. Ela foi ousada, curti. Os vocais foram bons e a apresentação foi dinâmica. Ganhou pontos por ousar. Acho isso muito legal, não ficar na zona de conforto, tentar algo diferente. Boa, garota.

Nossos jurados escolheram:
Top: Casey (3 votos), James (2 voto), Jacob (1 voto), Haley (1 voto) Thia (1 voto), Pia (1 voto)
Bottom 3: Karen (3 votos), Paul (2 votos), Scotty (1 votos), Stefano (1 voto), Ashton (1 voto), Thia (1 voto)

ENSAIO FOTOGRÁFICO TOP 13